Normas de Acolhimento

Nós, da CSRP – Centro de Socialização, Ressocialização e Profissionalização – Elo Social, estamos preparados tecnicamente para acolher cidadãos em situação de rua, dependentes químicos ou não.

Observação: Não trabalhamos com internações compulsórias nem com portadores de transtornos mentais.

O acolhimento se dará após o cumprimento de todos os protocolos que se fazem necessários para alcançarmos bons resultados, visto que se alimenta um mito das grandes dificuldades encontradas na recuperação de cidadãos em situação de rua, especialmente os dependentes químicos.

Entendemos que os péssimos resultados que estão sendo colhidos estão atrelados às inúmeras formas de atendimentos e tratamentos dispensados, sendo que alguns visam só o lucro, sem qualquer comprometimento com o resultado, e outros tantos entregam “soluções” meramente protelatórias.

Para ser acolhido no CSRP – Elo Social se faz necessário:

  1.  – Buscar vagas na Secretaria de Assistência Social da Cidade em que se encontra, e esta deverá emitir uma Certidão de vagas (Lei 9051/1995).
     

  2.  - As prefeituras deverão participar do Consórcio Municipal específico para amparo de cidadãos em situação de rua, dependente químico ou não.
     

  3.  - Os registros dos interessados de posse das certidões municipais deverão ser feitos pelas Federações Estaduais ou regionais do Elo Social.
     

  4.  - Os grupos de acolhidos serão recolhidos mensalmente na sede das prefeituras locais que deverão cuidar do asseio deles, sob pena de não embarcarem.
     

  5.  - Chegando na unidade, os assistidos serão identificados conforme os registros previamente realizados pela equipe de segurança que os identificará com pulseiras com código de barra e os encaminhará para triagem.
     

  6.  - Na triagem os acolhidos serão atendidos por uma assistente social que abrirá seu prontuário eletrônico, realizando sua anamnese e o encaminhará para o departamento de estética pessoal.
     

  7.  - Após restabelecida a autoestima junto ao departamento de estética pessoal o acolhido será encaminhado para o departamento de segurança que recolherá sua pulseira com código de barra e lhe entregará a credencial definitiva. Observação: esta credencial possui um chip que lhe dará acesso a todos os serviços.
     

  8.  - Já credenciado o acolhido retornará à triagem, onde lhe será entregue os uniformes devidamente personalizados. 
     

  9.  - De posse do uniforme os acolhidos deverão ser encaminhados para o auditório central para solenidade de apadrinhamento.
     

  10.  - Durante a solenidade os padrinhos que já se encontram assistidos há 8 (oito) meses (de um total de 9 meses), conduzirão os acolhidos até os alojamentos.
     

  11.  - Nos primeiros 30 (trinta) dias, os acolhidos não participarão de atividades laborterápicas e serão atendidos primeiramente pelo médico clínico geral e em seguida pelo psiquiatra.
     

  12.  - Após os atendimentos médicos, os acolhidos passarão também por atendimento jurídico e previdenciário.
     

  13.  - Em cada núcleo os acolhidos contarão com um acompanhamento de um técnico de enfermagem que administrará os medicamentos devidamente prescritos pelos médicos, um psicólogo e um assistente social.
     

  14.  - A Socialização e ressocialização se dará através do grupo de trabalho interativo composto pelos 8 (oito) acolhidos que se encontram em estágios diferentes, já que existe uma rotatividade mensal de acolhidos.
     

  15.  – Os acolhidos passarão a gozar de direito a visitas de familiares após 60 (sessenta) dias de acolhimento, e essas se realizarão aos sábados, domingos e feriados, e deverão ser previamente agendadas.