Ressocialização

Nós, do CSRP – Elo Social, acreditamos que o aspecto chave para se trabalhar a ressocialização é a priorização de aspectos sociais e econômicos, visto que ressocializar o indivíduo usuário de drogas ou morador de rua implica em aumentar sua contratualidade afetiva, social e econômica, viabilizando sua autonomia para a vida na comunidade.


São pessoas que chegaram ao popularmente chamado de “fundo do poço”, excluídos do convívio de todos que o conheciam, em especial os familiares.

 

A devolução dos mesmos a este convívio envolve uma dura tarefa de reconstrução de valores que nem sempre os acolhidos estão dispostos a se submeterem, motivo pelo qual não consideramos uma tarefa fácil, porém, plenamente possível.

Nós trabalhamos com um conjunto de ações que entrega atendimentos técnicos, acolhida religiosa e o principal, que é o elemento autoestima. Se não devolvermos a autoestima aos acolhidos nenhum tratamento dará certo, pois entendemos que a cura vem de dentro para fora e não de fora para dentro. Se ele não quiser, nem nós, nem ninguém, iremos conseguir ressocializá-lo.