top of page

CESB – Confederação do
  Elo Social Brasil 

CNPJ Nº 08.573.345/0001-46

    www.elosocial.org.br/csrp  

     www.elosocial.org.br

Brasão Elo Vetor.png

CSRP – Elo Social
Centro de Socialização,
Ressocialização e Profissionalização 

Comissões de Educação e Socialização, Qualificação e Requalificação Profissional, Direitos Humanos e Combate à Criminalidade

INSTITUIÇÃO MANTENEDORA: CESB - Confederação do Elo Social Brasil, instituição social sem fins lucrativos, criada nos termos dos incisos XVII e XVIII do Artigo 5º da Constituição da República Federativa do Brasil, do artigo 16 do Decreto Lei n. 678 de 06/11/1992 e das Leis 9.790/99 e 10.406/06, inscrita no CNPJ sob o nº 08.573.345/0001-46, com Diretoria Nacional de Implantação de Projetos sita à Rua Cecília Bonilha, 145/147, Vila Bonilha, Pirituba, São Paulo – Capital -  Brasil, CEP 02919-000, e telefone +55 (11) 3991-9919.

APRESENTAÇÃO:

A CESB é uma instituição social sem fins lucrativos criada no ano de 1990 e com atuação no distrito federal e em todos os estados brasileiros através de suas federações, que poderá conferir neste link.

A CESB tem como objetivo primordial combater a desigualdade social através do fortalecimento da cidadania e da instituição familiar com a ministração de Cursos Vivenciais.

Atuamos também junto à população carcerária e seus familiares com foco no combate à criminalidade / socialização / ressocialização por meio do Social Carcerária.

No legislativo, atuamos na criação de projetos de lei através de nossa Comissão de Legislação Participativa.

Somos criadores e gestores do programa “Lixo Zero, Social 10”, através do Sistema INER de resíduos sólidos.

Estamos implantando e preparados para gerir o Sistema das COOPERINERs, complexos de cooperativas especializadas em resíduos sólidos moveleiros, e que visam acabar de vez com o regime de escravidão impostos aos catadores, que retornou no Brasil através da nova lei de resíduos sólidos, lei esta que acabou estendendo, o que no passado acometia "apenas" a negros, hoje acomete também a brancos, pardos e asiáticos, todos puxando carroça, sem direito a absolutamente nada e recebendo valores ínfimos pelo produto que recolhem.

 

Para não ficarmos à mercê da grande mídia brasileira, hoje não mais tão confiável, criamos nosso sistema próprio de comunicação, com programação individualizada em todos os estados da federação.

Atuamos também na área de esportes através do ECES – Esporte Clube Elo Social, com programas voltados exclusivamente aos esportes olímpicos.

 

Estamos à frente do Movimento denominado Acorda Brasil, movimento pacífico, respeitador de nossa Constituição Federal e de todas as leis em vigor em nosso país, através do pleno exercício da cidadania.

 

Na área da saúde, temos o programa denominado UFA.

 

Observação: Somos aquilo que já fizemos e como estamos fazendo, sendo certo que tudo aquilo que pessoas prometem fazer, pode virar apenas mais uma das inúmeras promessas não cumpridas e que poderão jamais acontecer, então é muito importante avaliarmos a fundo todas as propostas feitas em discursos inflamados e a possibilidade de suas realizações. Nós, da CESB, estudamos minuciosamente todos os nossos projetos para termos a certeza da viabilidade dos mesmos, que, como diferencial, não fazem uso de verbas públicas para suas implantações.

 

      

CONSIDERAÇÕES:

 

É indiscutível que a criação, implantação e gestão de políticas sociais é uma obrigação do Estado e um direito do cidadão, e para que isto aconteça são obrigados a recolher tributos, municipais, estaduais e federais.

 

O fato de ser uma obrigação do Estado não exime o cidadão de cumprir o seu dever cívico dando a sua colaboração nessa difícil tarefa de combater a desigualdade social e seus reflexos na qualidade de vida de toda a população.

 

E para que não se esqueçam, queremos lembrar que os cidadãos não têm só direitos, mas também deveres, e passamos a relacionar alguns:

  

• Escolher os governantes do país • Cumprir todas as leis e a Constituição • Proteger o meio ambiente e todo o patrimônio público e social do Brasil • Respeitar os direitos das outras pessoas • Fazer as contribuições tributárias e previdenciárias devidas • Educar e proteger os seus semelhantes • Contribuir com as autoridades.

 

Observação: Por este motivo, nos, da CESB, estamos aqui dando a nossa parcela de colaboração sem qualquer interesse político partidário.

 

É visível e indiscutível que o Estado, como um todo, não tem sido capaz de apresentar um programa com estruturação nacional para combater a dependência química e o avassalador crescimento da população em situação de rua.

 

São muitas as ações neste sentido, tanto governamentais como não governamentais, em especial destacamos as instituições religiosas e não religiosas, grande parte delas com órgãos públicos e outras poucas mantidas exclusivamente pela iniciativa privada.

 

Sem generalizar ou desmerecer os programas e projetos implantados, tanto por instituições religiosas como empresas e órgãos governamentais, mas ao nosso ver, é chegado o momento de termos um projeto nacional que não se assemelhe com práticas socialistas de adoção dos problemas ou ainda religiosas que, com todo respeito que temos pelo nosso criador, de uma certa forma acabam transferindo de forma exagerada as responsabilidades do pretenso resultado para “Deus”.

Um país é regido por leis, leis essas que somos obrigados a cumprir, e esses seres-humanos hoje abandonados à própria sorte por seus entes queridos, vivendo sob dependência química e em situação de rua, certamente possuem famílias, famílias essas que juridicamente são por eles também responsáveis.

 

Dentre esses abandonados por seus familiares encontramos todos os tipos de pessoas e idades, jovens, adultos, idosos alguns com um passado profissional reconhecido e que merecem ser ressocializados e outros que sequer chegaram a ser socializados e, se nunca foram socializados, não há como ressocializá-los.

 

Observação: Vislumbramos nos programas existentes alguns excessos que, ao nosso ver, são responsáveis pelos resultados que estamos colhendo:

 

  • Uma circulação muito grande de verbas federais, estaduais e municipais desprovidas do acompanhamento que se faria necessário, atendo-se ainda ao fato que, em sua maior parte, estão atreladas a calamidades públicas que dispensam mecanismos constitucionais importantíssimos na fiscalização do bom uso de verbas públicas.

 

  • Constata-se também, por parte do estado, uma exagerada atuação de forças militares e situações claramente sociais.

 

  • Por outro lado, temos instituições sociais com atuações exageradamente religiosas, atribuindo toda eficiência de seu trabalho a forças “espirituais”, às vezes negligenciando o acompanhamento médico tão necessário.

 

  • Para aqueles que possuem condições financeiras, clínicas particulares, sem querer generalizar, algumas atuando com propostas meramente comerciais em um mercado altamente competitivo, onde se encontra todas as modalidades de tratamento, com prazos tecnicamente impossíveis e valores incompatíveis.

 

NOSSA PROPOSTA:

 

Entendemos que a criação e implantação nacional do CSRP – Centro de Socialização, Ressocialização e Profissionalização – Elo Social, através única e exclusivamente da iniciativa privada, com um padrão único em todos os estados da federação brasileira e com o objetivo claro de dar real apoio a órgãos governamentais e não governamentais é de suma importância.

 

As iniciativas existentes, tanto governamentais como não governamentais, ao nosso ver, sem querer generalizar, apresentam algumas lacunas técnicas, jurídicas, sociais, religiosas e médicas, que entendemos tê-las sanado em nosso projeto, lacunas estas que passamos a relacionar:

 

a) Fala-se muito em ressocialização sem o cuidado de avaliar se os beneficiários chegaram ou não a ser socializados, motivo pelo qual nosso programa envolve primeiro a socialização e depois a ressocialização, por entendermos ser totalmente impossível ressocializar quem sequer chegou a ser socializado.
 

b) Grande parte dos programas não envolvem os familiares dos beneficiados no processo de socialização/ressocialização, e existe um consenso mundial de que são os familiares o elemento mais importante neste processo.
 

c) Temos inúmeras instituições sociais e clínicas da iniciativa privadas, atuando praticamente como um clube de campo, com objetivos muito mais empresarial do que propriamente de recuperação dos internos.

d) Dentre as instituições sociais, temos aquelas radicais que, como já dissemos, atuam praticamente só na parte religiosa, minimizando a importância da ciência e enfocando de forma exagerada, ao nosso ver, a religiosidade.
 

e) Alguns dos programas trabalham com prazos ínfimos e praticamente impossíveis de vir a alcançar qualquer tipo de resultado satisfatório, fato que acaba, de certa forma, gerando um verdadeiro descrédito no sistema de recuperação, denegrindo e desvalorizando os trabalhos sérios e mantendo cada vez mais forte a fama de que a recuperação é quase impossível.
 

f) Criou-se um nicho de mercado na ressocialização de dependentes químicos, com a prática de todos os tipos de valores que se possa imaginar, o que, ao nosso ver, distancia-se do objetivo primordial que deveria ser verdadeiramente o resultado do trabalho que entendemos ser a recuperação.

Observação: É claro que para elaborarmos um projeto desta magnitude e de âmbito nacional, tivemos o cuidado de fazer um grande trabalho de campo através do qual estudamos em nível nacional o perfil dessa população, que hoje vive em situação de rua, independentemente ou não de serem dependentes químicos.

 

Tivemos também o cuidado de estudar e mapear minuciosamente a quantidade de equipamentos públicos ou conveniados existentes, seus modos operantes, bem como os valores que eles estão custando para o erário púbico.

 

Pesquisamos também o perfil dos moradores hoje em situação de rua, tanto os dependentes químicos como não dependentes, estendendo ainda esse estudo a estrangeiros ilegais que fugiram de seus países para tentar a vida em nossas fronteiras alimentados por um sonho de prosperidade.

 

OBJETIVO DO CSRP – ELO SOCIAL:

 

O objetivo do projeto é de dar ao Distrito Federal, Estados e Municípios da Federação brasileira a sua parcela de colaboração nesta difícil tarefa de acolher, socializar e ressocializar dependentes químicos em situação de rua e também brasileiros e estrangeiros que estejam em situação de rua, mas não sejam dependentes químicos, o que será feito através de uma estrutura padrão nacional com atendimentos técnicos, religiosos, motivacionais, profissionalizante e laborterápicos, que acreditamos estarem na medida certa.

 

Entendemos que todas as iniciativas são louváveis, no entanto, somos obrigados a aceitar que em sua maior parte acabam se tornando por demais socialistas e paliativas, tais como distribuição de mantimentos nas ruas, programas ressocializadores desprovidos de bases técnicas, casas de recuperação com internações por prazos menores do que os tecnicamente recomendados além de albergues e casas de passagem que tratam os beneficiados como  meros “objetos”, nada lhes oferecendo além de pernoites e café da manhã.

 

Somos um país de dimensões continentais e, sendo assim, pouquíssimas prefeituras conseguiriam montar uma estrutura como a que estamos oferecendo para sanar o problema, e, ao que se pode constatar, nem mesmo as capitais possuem um programa de tamanha dimensão.

 

Observação: Em nossa proposta oferecemos um modelo padrão de acolhimento que congrega em um único equipamento todas as práticas de inclusão social reconhecidas, quer   técnicas, religiosas, esportivas ou laborterápicas de forma regrada e harmonizada que não infrinjam nenhuma lei vigente, nem confronte as normas inseridas nos códigos de ética dos profissionais envolvidos no processo.

Brasão Elo Vetor.png
CSRP transparente.png
Logo Elo Social.png

PROJETO CSRP – ELO SOCIAL
CESB – Confederação do Elo Social Brasil
CNPJ 08.573.345/0001-46

Os complexos do CSRP – Elo Social, terão a capacidade de abrigar 2.880 (dois mil oitocentos e oitenta) beneficiados, e para isso, contarão com uma praça de atendimento integrada, 1 (um) núcleo para acolhimento diferenciado de idosos, estrangeiros, mulheres e LGBTQIA+, dividido em 2 (duas) células de atividades de produção e laborterápicas, com capacidade de 240 (duzentos e quarenta) pessoas, e mais 1 (um) núcleo para acolhimento de homens com idade entre 18 (dezoito) e 60 (sessenta)  anos, composto por 10 (dez) células de atividades laborterápicas, profissionalizantes e de produção, também com capacidade individual de 240 (duzentos e quarenta) acolhidos.

PORTAL DE ENTRADA

Entrada Portaria.jpg

Os complexos serão dotados de 1 (uma) portaria principal conjugada, com sala para revista de visitantes e 2 (duas) portarias de núcleos, todas sob o comando da Guarda Social Patrimonial, que monitorará, em tempo real e de forma eletrônica, todos os acessos de veículos e pessoas.

PRAÇA DE ATENDIMENTO:

Estrategicamente localizada entre a entrada dos núcleos e o portal da entrada principal, com acesso restrito ao público externo liberado para os acolhidos, mediante agendamento prévio de atendimento.


A praça contará com os equipamentos a seguir relacionados:

- Nucleo de administração geral
- Anexo I - Departamentos da Diretoria Geral
- Unidade de Assistência Social
- Unidade de Psicologia 
- Unidade Jurídica
- Núcleos de Atividades Laborterápicas de Produção 
- Unidade de Autoescola
- Unidade de Informática
- Unidade de Cursos Vivenciais
- Unidade de Panificação
- Unidade de Lavanderia
- Posto Policial integrado 
- Unidade de Estética Pessoal
- Posto Bancário Elo Social 
- Sistema Elo de Comunicação – TVelo e Rádio- Elo
- UFA – Unidade médica ambulatorial, psiquiátrica e odontológica
- Guarda Social Patrimonial

 

NÚCLEO ADMINISTRATIVO:

Diretoria Geral.jpg

O núcleo administrativo do CSRP – Elo Social é composto de um gabinete da diretoria geral e mais 8 (oito) diretorias, a saber: 1) Diretoria Geral, 2) Diretoria de Assistência Social, 3) Diretoria de Saúde, 4) Diretoria de Segurança Pessoal e Patrimonial, 5) Diretoria de Produção, Profissionalização e Atividades Laborterápicas, 6) Diretoria Financeira, 7) Diretoria Jurídica, 8) Diretoria de Cultura, Educação, Esportes e Comunicação:

NÚCLEO ADMINISTRATIVO - ATRIBUIÇÃO DAS DIRETORIAS

Gabinete do Diretor Geral – Responsável por todas as atividades desenvolvidas no complexo pelas 8 (oito) diretorias e pelos departamentos a seguir relacionados:

ANEXO I – DIRETORIA GERAL

ANEXO I (2).jpg

Prédio administrativo específico para abrigar os departamentos de responsabilidade do diretor geral:

 

- Departamento de comunicação;

- Departamento de marketing;

- Departamento de manutenção geral;

- Departamento de informática;

- Departamento de nutrição;

- Departamento de lavanderia;

- Departamento de manutenção de equipamentos;

- Departamento de aquisição de moveis, veículos e equipamentos;

- Departamento de serviços gerais, limpeza, conservação e jardinagem;

- Departamento de gerenciamento de vagas, através das federações do Elo Social;

- Departamento de inclusão carcerária através da Social Carcerária;

- Departamento de naturalização ou deportação de imigrantes.

Credenciamento

Credencial CSRP.png

Os CSRPs – Elo Social não admitem no interior de nenhuma de suas unidades nenhum cidadão que não esteja devidamente credenciado, quer como funcionário colaborador, quer como acolhido ou ainda como visitante. Todos devem estar devidamente credenciados.

Todas as nossas credenciais possuem um chip interno para acesso em qualquer das dependências por nossos funcionários, colaboradores e acolhidos. Já os visitantes deverão ter uma credencial temporária com código de barras. 

O primeiro passo deve ser dado pelas prefeituras que estiverem devidamente filiadas aos consórcios municipais criados para este fim, e que regulamentam a inscrição dos futuros acolhidos.
 
As únicas instituições que terão acesso para proceder o cadastro de acolhidos serão as federações do Elo Social de cada estado, e para que isto venha a acontecer, os beneficiados precisarão apresentar uma certidão da prefeitura responsável.

Diretoria de Assistência Social:

 

Responsável pelos departamentos de: Cadastro de futuros acolhidos (através do consórcio de prefeituras), Registro, Triagem, Inclusão e acompanhamento das atividades laborterápicas, Translado, Amparo a egressos, Localização das famílias e Aproximação familiar.

 

Diretoria de Saúde:

 

Responsável pelos departamentos: Médico, Enfermagem, Psicologia, Psiquiatria, Nutricionista, Oftalmologista, Odontologia, Ortopedia, Ginecologia, Urologia e Dermatologia.

 

Diretoria de Segurança Pessoal e Patrimonial:

 

Responsável pelos departamentos de: Portarias, Guarda Social Patrimonial, Emissão e fiscalização do sistema de credenciamento de acolhidos, Controle do tráfego interno, Acompanhamento de todas as atividades, Segurança dos funcionários, acolhidos e familiares, Escolta dos desertores até embarcarem para estado e município de origem, Rondas internas em todo o complexo, Escoltar funcionários, professores ou autoridades quando da realização de qualquer visita ou exceção.

 

Diretoria de Atividades Laborterápicas, Profissionalizante, de Produção e Comercialização:

 

Responsável pelos departamentos de: Atividades Laborterápicas, Cursos de profissionalização, Produção, Aquisição de matéria prima, Comercialização dos produtos produzidos, Coordenação dos instrutores de cursos profissionalizantes, Aprovação de novos produtos para linha de produção e inspeção de qualidade.

 

Diretoria Financeira:

 

Responsável pelos departamentos: Contábil, Pessoal, Banco Elo Social, Faturamento, Controle de caixa, Contas a pagar e a receber, Balanços mensais e anuais, Gerenciar o sistema de prestação de contas aos acolhidos, Liberar os créditos dos acolhidos quando da conclusão do acolhimento ou da desistência por parte do acolhido em se manter na unidade, Providenciar, junto à Agência de Viagens Elo Social, as passagens do regresso dos acolhidos para o município de origem.

 

Diretoria Jurídica:

 

Departamentos de: Aprovação de acolhimento, Direito previdenciário e benefícios, Direito de família exercido através de ações de alimentos, Separações judiciais, Divórcios, Reclamações trabalhistas, Baixas em processos criminais findos, Tutelas, Averbações, Segunda via de documentos, Restabelecimento de CPF e regulamentação de processo de extradição, Amparo judicial a guarda social patrimonial, Assessoria jurídica previdenciária.

 

Diretoria de Cultura, Educação, Esportes e Comunicação:

 

Departamentos de: Educação Convencional, Alfabetização acelerada, Cursos Vivenciais, Palestras motivacionais de autoestima, Esportes olímpicos, Lazer, Artes, Cursos de informática, Departamento de Comunicação.  

GERENCIAMENTO E ATRIBUIÇÃO DAS UNIDADES

UNIDADE JURÍDICA

Gerencia Jurídica.jpg

Unidade subordinada à Diretoria Jurídica, gerenciada por um(a) advogado(a), que terá sob sua responsabilidade equipes técnicas com capacidade para:

a) – Efetuarem levantamento criminal dos acolhidos;

b) – Providenciar segunda via de documentos que se façam necessários;

c) – Restabelecer ou conquistar direitos previdenciários;

d) – Ajuizar eventuais ações trabalhista;

d) – Ajuizar eventuais ações trabalhista;

e) Ajuizar ações de alimento contra eventuais parentes de acordo com ao artigo 1696 do Código Civil;

e) – Ajuizar ações de indenização por perdas e danos;

f) – Ajuizar ação de inventario quando direitos estiverem sendo negligenciados;

g) – Ajuizar ação de abandono de incapaz  quando vislumbrado tais direitos;

h) – Ajuizar representações criminais quando constatado que acolhidos estão sendo vítimas de ações delituosas;

i) – Interagir com os postos de atendimentos da Polícia Militar e da Guarda Civil Metropolitana;

j) – Atender obrigatoriamente todas as eventuais notificações, judiciais ou extrajudiciais, incluindo qualquer tipo de intimação policial.

Observação: não estão incluídas aqui aquelas que tiverem origem na infração ética profissional, vez que devem ser recebidas pelos diretores das áreas especificas.

Fotos históricas:

Unidade de Assistência Social

Gerencia de Assistência Social.jpg

Unidade subordinada à diretoria de Assistência Social, gerenciada por um(a) Assistente Social que terá sob sua responsabilidade os departamentos a seguir relacionados:

 

a) – Departamento de pré-aprovarão dos acolhidos quando da indicação por parte dos consórcios municipais;

b) – Departamento de aprovação de acolhidos involuntários de forma particular levados pela família;

c) – Departamento de aprovação de acolhidos encaminhados por instituições não governamentais, religiosas ou não;

d) – Departamento de acompanhamento das atividades de produção e laborterápicas;

e) – Departamento de triagem quando da chegada do acolhido no  complexo;

f) – Departamento responsável pela movimentação  dos acolhidos dentro do complexo;

g) – Departamento  de localização de familiares e aproximação ao parente acolhido;

h) – Departamento responsável pela emissão do atestado de socialização;

i) – Departamento de correspondência.

Unidade de Psicologia

Gerência de Psicologia.jpg

Unidade subordinada à diretoria de Saúde, gerenciado(a) por um(a) psicólogo(a), que terá sob responsabilidade os departamentos a seguir relacionados:

 

a) – Departamento de avaliação prévia dos acolhidos quando da triagem e acolhimento;

b) – Departamento que irá acompanhar clinicamente os acolhidos durante o período do acolhimento através dos(as) psicólogos(as) lotados nas clínicas existentes em cada células de atividades de produção e laborterapia;

c) – Departamento responsável pela anuência ou não da emissão do atestado de socialização;

d) – Departamento de monitoramento dos acolhidos, responsável por novos agendamentos de consulta junto aos psiquiatras para eventuais ajustes no medicamento;

e) - Departamento de acompanhamento de familiares no preparo da futura reintegração ao seio familiar do acolhido.

Unidade de Saúde

Gerência de Saúde.jpg

Unidade subordinada à diretoria de Saúde, gerenciada por um(a) médico(a), que terá sob responsabilidade os departamentos a seguir relacionados:

 

a) – Departamento de avaliação prévia dos acolhidos quando da triagem e acolhimento;

b) – Departamento médico;

c) – Departamento de psiquiatria, gerenciado por um(a) psiquiatra;

d) – Departamento de Psicologia,  gerenciado por um(a) psicólogo(a), responsável por todos os profissionais desta área lotados no complexo;

e) – Departamento de enfermagem, gerenciado por um(a) enfermeira(o) responsável por todos os profissionais desta área lotados no complexo;

f) – Departamento de Oftalmologia, coordenado por  um(a) oftalmologista;

g) - Departamento de Odontologia, coordenado  por um(a) dentista;

h) -  Departamento de ginecologia, coordenado por um(a) médico(a) ginecologista;

i) -  Departamento de urologia, coordenado por um(a) médico(a) urologista;

j) – Departamento de Dermatologia, coordenado por um(a) médico(a) dermatologista;

k) – Departamento de ortopedia, coordenado por um(a) ortopedista.

Diretoria de Atividades Laborterápicas, Profissionalizantes, de Produção e Comercialização:

Atividades Laborterápicas.jpg
Ressocializacao_edited.jpg
Biblioteca.jpg
Academia.jpg

Responsável por todas as atividades Laborterápicas, cursos de profissionalização e Produção, gerenciada por coordenadores de células compostas por 240 (duzentos e quarenta) acolhidos em cada uma.

Os acolhidos cumprirão uma jornada laborterápica/trabalho de 4 horas diárias, de segunda à sábado, e por esta jornada receberá de mensalmente meio salário-mínimo, devidamente registrados em CTPS e com todos os direitos trabalhistas.

As células contarão também com 2 (duas) salas de aula para ministração de cursos vivenciais e profissionalizantes.


Os acolhidos terão, além das já referidas 4h diárias de atividades laborais, dois turnos de 4h, sendo um para educação e outro livre para esporte, lazer e cultura.

Ressocialização – Grupo de trabalho interativo

Est-5-Alojamento- Iglu-Tipo.jpg

Nós, do CSRP – Elo Social, acreditamos que o aspecto chave para se trabalhar a ressocialização é a priorização de aspectos sociais e econômicos, visto que ressocializar o indivíduo usuário de drogas ou morador de rua implica em aumentar sua contratualidade afetiva, social e econômica, viabilizando sua autonomia para a vida na comunidade.

Nosso modelo de Ressocialização faz uso de todos os métodos possíveis, sem qualquer exceção, quer laborterápicos, profissionalizantes, médicos, psicológicos, religiosos e um dos que consideramos também de grande importância, que classificamos como Ressocialização por grupo de trabalho interativo.

Nosso modelo de Ressocialização faz uso de todos os métodos possíveis, sem qualquer exceção, quer laborterápicos, profissionalizantes, médicos, psicológicos, religiosos e um dos que consideramos também de grande importância, que classificamos como Ressocialização por grupo de trabalho interativo.

Os grupos de trabalhos interativos são constituídos de 9 (nove) participantes, integrantes dos alojamentos, que obrigatoriamente se reúnem todas as noites após o encerramento das atividades para compartilharem dentre eles experiências vividas, tanto bem-sucedidas quanto malsucedidas.

 

Estes grupos de trabalhos interativos serão sempre liderados pelo mais antigo habitante do alojamento que tem mais experiência sobre o processo de patrulhamento, sendo que o prazo para que cada um fale será de 3 (três) minutos, sem qualquer comentário por parte dos demais participantes, que se limitarão apenas a ouvir. (o que se fala no grupo de trabalho interativo, não pode ser comentado, nem durante, nem depois da partilha, tornando-se um segredo eterno).

GERÊNCIAS E DEPARTAMENTOS

ESPORTES

Gerência Esportes Olímpicos.jpg

Unidade subordinada à Diretoria de Cultura, Educação e Comunicação. Deverá ter em sua gerência um profissional com relevantes conhecimentos e que possa coordenar as atividades dos departamentos a seguir relacionadas:

 

a) – Coordenação de Artes;

b) – Coordenação de Educação;

c) – Coordenação da TV Elo;

d) – Coordenação da Rádio Elo;

e) – Coordenação de Alfabetização;

i) – Coordenação de cursos Vivenciais;

j) – Coordenação de Esportes.

CENTRO OLÍMPICO ELO SOCIAL

CENTRO OLIMPICO - ELO SOCIAL.jpg

Unidade subordinada à diretoria financeira e deverá ter à sua frente, na qualidade de gerente, um profissional com relevantes conhecimentos bancários que lhe possibilite coordenar os departamentos a seguir relacionados:

 

a) Departamento de abertura e encerramento de contas digitais;

b) Tesouraria;

c) Departamento de atendimento ao acolhido.

As contas bancárias servirão para que nelas sejam efetuados mensalmente os valores advindos com as atividades laborterápicas exercidas pelos acolhidos, fixadas, independente da atividade que esteja exercendo, em meio salário-mínimo por mês.

AGÊNCIA BANCÁRIA – ELO SOCIAL

Posto bancário.jpg

Unidade subordinada à diretoria financeira e deverá ter à sua frente, na qualidade de gerente, um profissional com relevantes conhecimentos bancários que lhe possibilite coordenar os departamentos a seguir relacionados:

 

a) Departamento de abertura e encerramento de contas digitais;

b) Tesouraria;

c) Departamento de atendimento ao acolhido.

As contas bancárias servirão para que nelas sejam efetuados mensalmente os valores advindos com as atividades laborterápicas exercidas pelos acolhidos, fixadas, independente da atividade que esteja exercendo, em meio salário-mínimo por mês.

A diferença entre os valores a receber e os valores gastos no mês serão depositadas na conta digital, que só poderá ser sacada pelo acolhido quando do encerramento do acolhimento.

AGÊNCIA DE VIAGEM - ELO SOCIAL

Agência de viagens.jpg

O CSRP contará com uma agência de viagens, gerenciada por profissional de profundo conhecimento da área, que se reportará à diretoria financeira.

 

A agência, por ocasião da busca dos acolhidos junto a seus municípios, poderá se valer de frota própria ou terceirizada.

Quando findado o período de acolhimento ou abandono voluntário da assistência, caberá à agência de viagem providenciar a passagem para o município constante de sua Certidão de Ressocialização, visto que não podem os assistidos ir para onde querem e nem ficar no município onde o CSRP está sediado.

onibus.jpg
onibus.jpg

Os Acolhidos dependem de um laudo técnico de socialização para saberem o local para onde serão encaminhados depois de findado o prazo de permanência na unidade, motivo pelo qual não se sabe ao certo para onde será encaminhado, visto que se não tiver laços parentescos no município de origem será encaminhado para o local onde moram seus familiares.

ALTOESCOLA

Autoescola.jpg

Unidade subordinada à diretoria de Produção, Profissionalização e Atividades Laborterápicas.

 

É gerenciada por um(a) diretor(a) de autoescola, que terá sob sua responsabilidade a revalidação de carteiras de habilitação vencidas, mudança de categoria e obtenção de novas carteiras.

Foto histórica:

AUTO ESCOLA.jpg

Observação: Para que os acolhidos conquistem o direito de obter a CNH - Carteira Nacional de Habilitação – deverão ter concluído com êxito pelo menos 8 (oito) Cursos Vivenciais e contarem com todos os documentos que se fazem necessários, além de serem aprovados em prova teórica e prática junto ao órgão aprovador.

Os custos de regulamentação de carteira de habilitação, bem como a obtenção de novas carteiras, serão descontados dos salários recebidos pelos acolhidos.

GUARDA SOCIAL PATRIMONIAL

Guarda Social.jpg
Carro de Fuga.jpg
Ronda.jpg

No CSRP - Elo Social a Guarda Social Patrimonial exerce função similar às exercidas pelas Guardas Civis Metropolitanas, unicamente dentro das dependências de nossas unidades, tendo como função:

a) - Proteção de todos os espaços internos da unidade, incluindo, arruamentos, portarias, prédios, salas de aula, templos religiosos, áreas esportivas, centro de eventos e alojamentos;
b) - Proteção de todos os diretores, funcionários contratados ou terceirizados e dos acolhidos e familiares;

c) – Responsável 24h (vinte e quatro horas) pelas rondas dentro do complexo, podendo conduzir os acolhidos para seus alojamentos quando estiverem circulando fora de horário, ou levá-los para inclusão, de onde poderão, posteriormente, ser excluídos da unidade;

d) - Escoltar todos os acolhidos até a rodoviária para se certificar de que estão embarcando para o destino correto;

e) - Proteção de todo o patrimônio do CSRP.

 

DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO

Gerência de Comunica;'ao.jpg

Unidade subordinada à diretoria de Cultura, Educação e Esportes, que deverá ter sua gerência exercida por um profissional com múltiplas habilidades e relevantes conhecimento em multimídia.

 

Responsável por toda a programação da TV Elo a ser transmitida ao vivo dentro do complexo, que contará com programação própria das 7 às 23 horas.

Unidade responsável também por toda a programação da Rádio Elo Social, que contará com programação própria das 7 às 23 horas.

 

Nós, do CSRP – Elo Social, entendemos a importância da mídia no processo de resgate da cidadania, no entanto, atravessamos um momento em que a grande mídia no Brasil vem atuando de forma a desagregar a família.

Fotos históricas:

UNIDADE DE INFORMÁTICA

Informática.jpg

O mercado de trabalho exige cada vez mais dos candidatos, requerendo novos conhecimentos e qualificações. Dessa forma, é uma boa opção realizar cursos profissionalizantes para atender às exigências dos empregadores, ou não terão mais oportunidade de se manter ou de retornar ao mercado.